Organizações e movimentos periféricos nas redes digitais ibero-americanas

Autores/as

Pedro Rodrigues Costa
CECS – Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade
https://orcid.org/0000-0002-1223-6462
Edson Capoano
CECS – Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade
https://orcid.org/0000-0001-6766-802X
Daniel Barredo Ibáñez
Universidad del Rosario
https://orcid.org/0000-0002-2259-0756

Sinopsis

O livro “Organizações e Movimentos Periféricos nas Redes Digitais Ibero-Americanas” é um esforço coletivo para retratar diferentes aspectos da atuação de forças sociais no ambiente virtual, sob o prisma das periferias, conceito em plena construção, como ressalta a investigadora Mara Rovida (2020).
Estudos geográficos e sociológicos atrelam periférico/a à regiões e a indivíduos afastados dos centros urbanos e dos equipamentos sociais, marcados pela pobreza e segregação (D’Andrea, 2013). Essa mesma periferia geraria uma noção identitária de quem produz o território (Santos, 2002), a ponto de ser um local em potência, dada a dinâmica social poderosa realizada por seus sujeitos periféricos (D’Andrea, 2020). No que se refere à comunicação social, as periferias deteriam o potencial do que Rovida chama de diálogo social solidário nas bordas urbanas, (2020. 6), uma reinterpretação da Solidariedade Orgânica (Durkheim, 1977, in 2004), em dinâmica de cooperação necessária ou interdependência, e da prática jornalística como forma de interação social, ação coletiva e dependente da interação entre sujeitos (Medina, 2014).

Citas

Capoano, E., Martini, M. R., & Alencar, V. de. (2021). Identidades, perfiles y procesos: elementos que componen los periodistas de la Agência Mural Jornalismo das Periferias. In J. M. Valero Pastor (Eds.), Plataformas, consumo mediático y nuevas realidades digitales. Hacia una perspectiva integradora (pp. 334-353). Dykinson.
D’andrea, T. P. (2013). A formação dos sujeitos periféricos: cultura e política na periferia de São Paulo. São Paulo: FFLCH.
D’andrea, T. P. (2020). Contribuições para a definição dos Conceitos periferia e sujeitas e sujeitos perifériCos1. Novos estudos CEBRAP, 39, 19-36.
Durkheim, É. (1977). Da divisão do trabalho social (Vol. 2). São Paulo: Martins Fontes, 2004.
Medina, C. (2014). Narrativas da contemporaneidade: epistemologia do diálogo social. Tríade: comunicação, cultura e mídia, 2(4).
Rovida, M. (2020). Jornalismo das periferias–o diálogo social solidário nas bordas urbanas. Curitiba: CRV.
Cubierta para Organizações e movimentos periféricos  nas redes digitais ibero-americanas
Publicado
febrero 28, 2022

Detalles sobre este monográfico

doi
10.16921/ciespal.34.37